Custom Menu

Latest From Our Blog

I Like This | Uma paisagem milenar de encantos gélidos
21311
post-template-default,single,single-post,postid-21311,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12.1,vc_responsive

Uma paisagem milenar de encantos gélidos

Uma paisagem milenar de encantos gélidos

Há quem procure sol e praia, mas também existe quem privilegie os encantos da neve e o desafio de enfrentar temperaturas negativas. Se é uma dessas pessoas, então não pode deixar de visitar o Parque Nacional Los Glaciares, na Argentina, que deve o seu nome ao facto de ser a segunda maior extensão de gelo do mundo, logo a seguir à Antártida. Ante um cenário que se divide entre uma vasta porção da Cordilheira dos Andes e a árida Patagónia, os viajantes encontram aqui algumas das mais majestosas paisagens que a natureza pode oferecer. Em 1937, o governo argentino deu um passo importante ao declarar esta zona como área protegida. Mais tarde, no início dos anos 80, chegou o epíteto de Património da Humanidade pela UNESCO.

Milhares de indivíduos deslocam-se até este local remoto para contemplar os cerca de 15 mil quilómetros quadrados, que no total perfazem os 47 maiores glaciares do coletivo de gelo patagónico. Para além disso, existem mais 200 blocos de gelo de menor magnitude. No sul do Parque encontra-se um dos seus atrativos por excelência – o glaciar Perito Moreno –, que deve a fama ao seu movimento contínuo (um fenómeno cíclico de avanços e retrocessos com desprendimentos espetaculares da sua frente).

Em direção ao outro extremo de Los Glaciares estão os picos mais altos, bem como a maior diversidade de formas graníticas que compõem a cordilheira, onde se destacam o maciço de Fitz Roy (3405 metros), que inclui o monte com o mesmo nome, e o Cerro Torre (3102 metros). A fauna e flora representam mais fatores a ter em conta. Pastagens de estepes com arbustos espinhosos, montanhas coloridas desde a base até ao topo das árvores e arbustos de cor cereja e amarela alegram o quadro. Por sua vez, a possibilidade de se avistarem animais selvagens como pumas, raposas vermelhas, cisnes de pescoço negro e outras aves torna tudo ainda mais aliciante.

De frente para uma paisagem de cortar a respiração, os turistas podem usufruir não só do melhor que a natureza dispõe, mas também de diversas atividades como trekking no gelo, caminhadas, escalada, pesca desportiva e campismo, entre outras. Para alcançar esta maravilha da América do Sul pode viajar de avião até Calafate, que dispõe de um aeroporto internacional e recebe autocarros desde Rio Gallegos, a capital da província de Santa Cruz, onde se situa o Parque Nacional Los Glaciares, perto da fronteira com o Chile.

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.