Custom Menu

Latest From Our Blog

I Like This | Terras de Santa Maria: de uma região medieval a um polo de atratividade
21613
post-template-default,single,single-post,postid-21613,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12.1,vc_responsive

Terras de Santa Maria: de uma região medieval a um polo de atratividade

Terras de Santa Maria: de uma região medieval a um polo de atratividade

Em tempos, as “Terras de Santa Maria” corresponderam a uma região medieval organizada administrativa e militarmente em torno do castelo de Santa Maria. Sem perder a sua identidade, esta região no distrito de Aveiro tem assistido a um crescimento, beneficiando da localização, das acessibilidades, da indústria transformadora e de belas paisagens que atraem cada vez mais turistas.

Arouca:

A geografia atual do concelho de Arouca corresponde a uma evolução que decorreu ao longo de séculos. Contudo, antes disso, o território foi povoado, como comprovam vários vestígios pré-históricos encontrados. Além da presença dos romanos, é possível atestar a permanência de populações de origem germânica e muçulmana. O desenvolvimento de Arouca é associado à fundação e crescimento do Mosteiro de Santa Maria, guardado pela figura de D. Mafalda, neta de D. Afonso Henriques. A principal riqueza natural de Arouca é o Arouca Geopark, reconhecido pelo seu património geológico de relevância internacional, onde se destacam as Trilobites Gigantes de Canelas, as Pedras Parideiras da Castanheira e os Icnofósseis do Vale do Paiva. É aqui que encontramos os Passadiços do Paiva, um total de oito quilómetros nas margens do rio Paiva.

Espinho:

Envolvida pelo mar, Espinho é uma cidade que se caracteriza pelos cerca de oito quilómetros de praias, várias distinguidas com Bandeira Azul, que atraem amantes de praia e praticantes de desportos náuticos. Com extensos areais e um mar recortado por esporões, este é o local ideal para a prática de surf e bodyboard. Esta cidade alegre cortada por largas ruas em quadrados simétricos destaca- se ainda pela existência do Museu, instalado numa antiga fábrica conserveira, pelo Casino e pelo mais antigo campo de golfe da Península Ibérica, com mais de um século de existência. Quem visita Espinho pode ainda conhecer uma herança tradicional única associada à Arte Xávega, enraizada no concelho desde sempre. Espinho conta atualmente com quatro freguesias e 31 786 habitantes, de acordo com os censos de 2011.

Oliveira de Azeméis:

Com 163,41 quilómetros quadrados de área, o município de Oliveira de Azeméis é habitado por cerca de 71 000 habitantes. Com 19 freguesias, Oliveira de Azeméis localiza-se numa chã que divide os vales dos rios Antuã e Ul, a 220 metros de altitude. A estrutura económica deste concelho assenta na indústria, destacando-se a metalomecânica, os moldes, as louças metálicas, os laticínios, o papel, o descasque de arroz, o vidro e o calçado. Em termos de património, em Oliveira de Azeméis destaca-se o Cruzeiro e o Pelourinho de Pinheiro da Bemposta (localizados no núcleo histórico da Bemposta) e o Mosteiro de São Martinho do Couto, em Cucujães; já no que se refere a áreas naturais, o concelho tem a Praia Fluvial do Pedregulhal, o Parque de La-Salette, o Parque do Cercal e o Monte de São Marcos.

Santa Maria da Feira:

É em Santa Maria da Feira que se localiza o castelo que dá nome a esta região. O Castelo de Santa Maria é considerado um dos exemplos mais completos da arquitetura militar medieval no país, uma vez que nele se encontra representada a vasta gama de elementos defensivos empregados no período. É no seu redor que o município organiza um dos principais eventos da cidade, a Viagem Medieval a Terras de Santa Maria, que atrai milhares de visitantes. Numa combinação entre o tradicional e o inovador, Santa Maria da Feira tem ainda um centro de negócios e congressos de excelência – o Europarque – e o Cine Teatro António Lamoso, palco de programação cultural ao longo de todo o ano. Para quem visita a cidade é imperdível provar a tradicional Fogaça, ex-libris da gastronomia regional e símbolo da secular Festa das Fogaceiras.

São João da Madeira: 

Localizado no centro da sub-região de Entre Douro e Vouga, São João da Madeira tem uma área de aproximadamente oito quilómetros quadrados e cerca de 21 700 habitantes. Esta é uma cidade empreendedora, sendo popularmente conhecida por Cidade do Trabalho e Capital do Calçado. Nos últimos anos, São João da Madeira tem sido distinguido como um dos melhores municípios para se viver em Portugal em estudos de qualidade de vida. Na cidade é possível visitar o Museu da Chapelaria, único na Península Ibérica, e o Museu do Calçado, aberto desde 2016.

Vale de Cambra:

Vale de Cambra integra o território das Montanhas Mágicas, um título de riqueza patrimonial europeia, localizando-se na confluência dos rios Caima, Vigues e Muscoso. Subdividido em seis freguesias e uma União de Freguesias, este concelho tem o seu desenvolvimento e afirmação nacional assente na indústria dos laticínios e nos setores da metalomecânica, embalagens, madeiras e automação. Vale de Cambra tem como principais motivos de interesse e atratividade turística um importante património (Ponte de Cavalos, Pelourinho de Macieira, Igreja e Cruzeiro de Roge, Ponte de Coronados e Ponte da Fontinha e moinho adjacente), mas também paisagens naturais, desde as belas e solarengas encostas das serras da Freita e Arestal, aos vales férteis do Caima, Arões e Teixeira.

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.