Custom Menu

Latest From Our Blog

Ilikethis | Setúbal Peninsula: a regiãon between the Tagus and Sado
19771
post-template-default,single,single-post,postid-19771,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12.1,vc_responsive

Setúbal Peninsula: a regiãon between the Tagus and Sado

Setúbal Peninsula: a regiãon between the Tagus and Sado

The Setúbal Peninsula is a sub-region that is characterized by environmental and landscape diversity, the economic wealth and the population. With nine municipalities, it adds more than 781,000 people and has its history linked to castles, convents, villas and palaces, natural heritage and excellent wines.

Alcochete: 

Headquarters of the Natural Reserve of the Tagus estuary, Alcochete is a town with about 17,565 inhabitants which is divided in three parishes. It is believed that Alcochete has Arab foundation for two reasons: the origin of Al Caxete name and the location of the Church, which has been built over an Arab temple.

Almada:

In the sub-region of Setubal, Almada is the sixth most populous city in Portugal, with over 164,000 inhabitants. The county received its charter of D. Sancho I in 1190 and Almada was elevated to city status in 1973. It is thought that Almada has Arab origin, association with the word mine, since during the Arab rule in the Iberian Peninsula was made the exploration of gold deposit of Adiça.

Barreiro:

This city of Setúbal Peninsula is divided into four parishes and has more than 78 thousand inhabitants. The origin of Barreiro is associated with a riverside village, repopulated after the reconquest, under the auspices of the Order of Knights of Santiago Espada. Barreiro has a strategic position close to the city of Lisbon and bathed by the river Tagus, is an important road-rail-river terminal.

Palmela:

With over 62,000 inhabitants, Palmela keeps records of human presence from the Neolithic Superior, notably through the testimonies left in the form of Palmela Pot. Occupied by Celts, Romans and Arabs, in 1147 it was conquered by D. Afonso Henriques, receiving its charter in 1185. The strategic position between the Sado and the Tagus potentiate its development.

Seixal:

Divided into six parishes, the county of Seixal has about 184,000 inhabitants and is one of the eight most populous municipalities of Portugal. Although little is known about the early history of Seixal, will most likely have originated in a small nucleus of fishermen and the name will be associated with the large amount of existing pebbles on the riverside beaches.

Setúbal:

Capital of the dstrict of the same name, Setúbal has about 121,000 inhabitants and is divided into five parishes. Born of the river and the sea, Setúbal has human occupation records from pre-history, with Neolithic remains collected. The region was visited by Phoenicians, Greeks, Carthaginians and Romans seeking salt and tin.

Moita:

Moita is located on the left bank of the Tagus estuary and has a riverfront with more than 20 kilometers. With about 66,000 inhabitants, Moita is favored by the riverside location and the richness of sea-river heritage, namely the Naval Shipyard Gaius, the Sarilhos Pequenos Naval Shipyard and Cais da Moita.

Montijo:

Montijo has its history closely linked to the Tagus river, as much of its geographical area is bounded by the same. In Montijo there are archaeological remains dating from the Paleolithic and until 1930 the city was called Aldeia Galega do Ribatejo. In 1985 the town of Montijo was elevated to city status.

Sesimbra:

Facing the Atlantic Ocean and enriched by the mouth of the Sado, the Arrábida mountains, the Cape Espichel, the lagoon of Albufeira and the beach Meco, Sesimbra is a strong county in terms of natural landscape. From the Chalcolithic period there are traces of human presence in Sesimbra and in 1201 Sancho I awarded him the charter

Know more about this region in the purchase of the 13th edition of I Like This. 

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.

Península de Setúbal: uma região entre o Tejo e o Sado

Península de Setúbal: uma região entre o Tejo e o Sado

A Península de Setúbal é uma sub-região que se caracteriza pela diversidade ambiental e paisagística, pela riqueza económica e populacional. Com nove municípios, agrega mais de 781 mil habitantes e tem a sua história ligada a castelos, conventos, quintas e palácios, património natural e vinhos de excelência.

Alcochete: 

Sede da Reserva Natural do Estuário do Tejo, Alcochete é uma vila com cerca de 17 565 habitantes que se divide em apenas três freguesias. Acredita-se que Alcochete terá fundação árabe por dois motivos: a origem do nome Al Caxete e a localização da Igreja Matriz, que terá sido construída sobre um templo árabe.

Almada:

Na sub-região de Setúbal, Almada é a sexta cidade mais populosa de Portugal, com mais de 164 mil habitantes. O concelho recebeu o foral de D. Sancho I em 1190 e Almada foi elevada à categoria de cidade em 1973. Pensa-se que Almada tem origem árabe, com associação à palavra mina, uma vez que aquando do domínio árabe na Península Ibérica era feita a exploração do jazigo de ouro da Adiça.

Barreiro:

Esta cidade da Península de Setúbal divide-se em quatro freguesias e tem mais de 78 mil habitantes. A origem do Barreiro está associada a uma aldeia ribeirinha, repovoada após a reconquista, sob a égide dos Cavaleiros da Ordem de Santiago da Espada. O Barreiro apresenta uma posição estratégica próxima da cidade de Lisboa e banhada pelo rio Tejo, sendo um importante terminal rodo-ferro-fluvial.

Palmela:

Com mais de 62 mil habitantes, Palmela mantém registos da presença humana desde o Neolítico Superior, nomeadamente através dos testemunhos deixados sob a forma do Vaso de Palmela. Ocupada por celtas, romanos e árabes, em 1147 foi conquistada por D. Afonso Henriques, recebendo o foral em 1185. A posição estratégica entre o Sado e o Tejo potenciou o seu desenvolvimento.

Seixal:

Dividido em seis freguesias, o concelho do Seixal tem cerca de 184 mil habitantes e é um dos oito concelhos mais populosos de Portugal. Apesar de pouco se saber sobre o início da história do Seixal, muito provavelmente terá tido origem num pequeno núcleo de pescadores e o seu nome poderá estar associado à grande quantidade de seixos existentes nas praias ribeirinhas

Setúbal:

Capital do distrito com o mesmo nome, Setúbal tem cerca de 121 mil habitantes e subdivide- se em cinco freguesias. Tendo nascido do rio e do mar, Setúbal tem registos de ocupação humana desde a pré-história, sendo que foram recolhidos vestígios do Neolítico. A região foi visitada por fenícios, gregos, cartagineses e romanos que procuravam sal e estanho.

Moita:

O concelho da Moita localiza-se na margem esquerda do Estuário do Tejo e possui uma frente ribeirinha superior a 20 quilómetros. Com cerca de 66 mil habitantes, a Moita é favorecida pela localização ribeirinha e pela riqueza de património fluvio-marítimo, nomeadamente o Estaleiro Naval do Gaio, o Estaleiro Naval de Sarilhos Pequenos e o Cais da Moita.

Montijo:

O Montijo tem a sua história intimamente ligada ao rio Tejo, uma vez que grande parte da sua área geográfica é delimitada pelo mesmo. No Montijo existem vestígios arqueológicos datados do Paleolítico e até 1930 a cidade chamava-se Aldeia Galega do Ribatejo. Em 1985 a vila de Montijo foi elevada à categoria de cidade.

Sesimbra:

Virada para o Oceano Atlântico e enriquecida pela foz do rio Sado, pela serra da Arrábida, pelo cabo Espichel, pela lagoa de Albufeira e pela praia do Meco, Sesimbra é um concelho forte em termos de paisagem natural. Desde o período Calcolítico que existem vestígios de presença humana em Sesimbra e em 1201 D. Sancho I atribui-lhe o foral.

Saiba mais sobre esta região na compra da edição nº13 da I Like This

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.