Custom Menu

Latest From Our Blog

Ilikethis | Património Mundial da UNESCO na África do Sul
20858
post-template-default,single,single-post,postid-20858,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12.1,vc_responsive

Património Mundial da UNESCO na África do Sul

Património Mundial da UNESCO na África do Sul

A par com a Etiópia, a África do Sul é o país do continente africano com mais sítios reconhecidos pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade, totalizando nove locais já distinguidos. Damos-lhe a conhecer os seis sítios de índole cultural que mereceram distinção pelas suas características únicas.

Foto 1 (© SA Tourism) – Sítios com Fósseis de Hominídeos
Património da UNESCO desde 1999 e posteriormente alargado em 2005, este é um conjunto de sítios arqueológicos da África do Sul que integra Sterkfontein, Sartkrans e Kromdraaai. Os locais, que totalizam uma área de 47 mil hectares, têm restos de antepassados da espécie humana datados até 4,5 milhões de anos, bem como indícios da utilização do fogo com mais de um milhão de anos. Esta zona é também conhecida como Berço da Humanidade [n.r. Cradle of Humankind], uma vez que tem cerca de 40 por cento dos fósseis humanos conhecidos.

Foto 2 (© laurasa) – Paisagem Cultural de Mapungubwe
Na província de Limpopo, esta paisagem cultural representa os vestígios de um estado que floresceu na região entre os séculos IX e XIV, sendo Património da Humanidade desde 2003. O conjunto, que se localiza numa região de savana com embondeiros de grande porte, inclui amuralhados construídos com pedras cortadas de forma regular e sobrepostas sem a utilização de cimento. Outros vestígios incluem provas da existência de um importante comércio com países árabes e Índia. Este sítio arqueológico foi descoberto em 1932.

Foto 3 – Paisagem Cultural e Botânica de Richtersveld

Classificada em 2007 pela UNESCO, esta é uma zona que se situa na província do Cabo Norte e que totaliza uma área de mais de 160 mil hectares. No local está patente o modo de vida do povo semi-nómada Nama, sendo a única zona onde este povo ainda constrói casas portáteis. O parque nacional de Richtersveld localiza-se numa região desértica com planícies arenosas lisas e montanhas escarpadas. Em Richtersveld as temperaturas são extremas e no verão podem chegar aos 50ºC, sendo que a chuva é um fenómeno muito raro.

Foto 4 – Ilha Robben

Esta ilha ventosa simboliza o triunfo do amor sobre o ódio, sendo o local onde Nelson Mandela passou 18 dos 27 anos em que esteve preso. A ilha Robben localiza-se à entrada da Baía da Mesa, ao largo da Cidade do Cabo, tem 5,4 quilómetros de comprimento e 2,5 de largura. Considerada Património da Humanidade desde 1999, a ilha Robben foi “descoberta” por Bartolomeu Dias em 1488 e é um santuário de natureza, com 132 espécies de aves e várias espécies de mamíferos, como tartarugas, focas e baleias.

Foto 5 (© SA Tourism) – Paisagem Cultural de Khomani
Na fronteira entre o Botswana e a Namíbia, esta zona coincide com o Parque Nacional Kalahari Gemsbok e é o último local distinguido pela UNESCO, em julho deste ano. Khomani engloba uma extensão de dunas que contêm evidências da ocupação humana desde a Idade da Pedra até à atualidade, estando associada à cultura dos antigos nómadas Khomani San, um povo que elaborou estratégias de subsistência para ultrapassar condições adversas. A paisagem permanece como testemunha do modo de vida que prevaleceu na região e que moldou o local ao longo dos anos.

Foto 6 (© SA Tourism) – Parque Maloti-Drakensberg
As montanhas Drankensberg albergam centenas de magníficas pinturas rupestres do povo San, localizadas em grutas ou formações rochosas. Este sítio inclui o Parque Nacional do Drankensberg, seis reservas florestais, uma reserva de caça e quatro reservas da natureza, totalizando mais de 242 mil hectares. É uma área que integra também o Parque Nacional Sehlathebe, no Lesoto, e que é considerada Património da Humanidade pela UNESCO desde 2000, como um local misto, que combina património de elevado interesse natural e cultural.

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.