Custom Menu

Latest From Our Blog

Ilikethis | O misterioso castelo de Chichén Itzá
20528
post-template-default,single,single-post,postid-20528,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12.1,vc_responsive

O misterioso castelo de Chichén Itzá

O misterioso castelo de Chichén Itzá

Construído no século XII pelos maias na antiga cidade de Chichén Itzá, no estado de Iucatão, o Templo de Kukulcán é uma das principais estruturas desta cidade maia, local onde se adorava Kukulcán, que significa “Serpente Emplumada”, na língua maia.

O Templo tem forma geométrica piramidal e conta com nove níveis, quatro fachadas principais, cada uma com uma escadaria central, e um patamar superior terminado por um templo. Cada uma das faces está alinhada com um dos pontos cardeais e os 52 painéis esculpidos nas paredes referem-se aos 52 anos do ciclo de destruição e reconstrução do mundo, de acordo com as crenças dos maias. As quatro escadarias, cada uma com 91 degraus, têm um total de 364 degraus, que somados ao patamar superior, dá um total de 365 unidades, que representam os dias do Haab [n.r. calendário agrícola solar dos maias]. No total, o edifício tem 24 metros de altura sobre uma
plataforma de 55,5 metros de largura.

O alinhamento da construção permite também observar diversos fenómenos de luz e sombra, que ocorrem durante os equinócios e solstícios. O Templo de Kukulcán é um exemplo dos profundos conhecimentos de matemática, geometria, acústica e astronomia da civilização maia.

Em 1927 o Instituto Carnegie de Washington iniciou trabalhos de investigação e exploração do Templo de Kukulcán. Em 1932 foi encontrada uma caixa com objetos de coral e obsidiana e incrustações de turquesa ao lado de restos humanos. Dois anos depois, no interior da pirâmide, encontrou-se uma figura de Chac Mool [n.r. estátua de pedra pré-colombiana mesoamericana] com incrustações de concha e nácar nas unhas, dentes e olhos. Este recinto foi apelidado de “sala das oferendas”. Em 1936 foi descoberto um outro recinto (“câmara de sacrifícios”) com duas fileiras de canelas humanas embutidas ao fundo da câmara e a escultura de um jaguar de cor vermelha com 74 incrustações de jade. Foram ainda encontradas duas pirâmides no interior do templo, uma com 20 metros e outra com 10 metros, sendo que esta foi encontrada em 2016.

Conhecido como O Castelo, o Templo está no centro de Chichén Itzá, que recebe cerca de 1,4 milhões de turistas por ano e foi distinguido em 2007 como uma das Novas 7 Maravilhas do Mundo, numa votação não oficial.

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.