Custom Menu

Latest From Our Blog

I Like This | O mais belo jardim do continente africano
20877
post-template-default,single,single-post,postid-20877,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12.1,vc_responsive

O mais belo jardim do continente africano

O mais belo jardim do continente africano

Kirstenbosch é conhecido como o maior jardim botânico do mundo ao ar livre, um espaço onde se descobrem espécies indígenas, se sente o aroma das plantas e se vislumbram as mais belas cores. Com mais de nove mil variedades de plantas, o Jardim Botânico de Kirstenbosch foi fundado em 1913 e é um dos locais a não perder para quem visita a Cidade do Cabo.

Com um total de 528 hectares, sendo que 36 são cultivados, o Jardim Botânico de Kirstenbosch, na Cidade do Cabo, surgiu em 1913 com o objetivo de preservar a flora única do país, sendo na altura o primeiro jardim botânico do mundo criado com esse propósito.

Este espaço apresenta exclusivamente plantas nativas, como por exemplo, próteas e suculentas, e tem mais de nove mil variedades de plantas únicas e exóticas, incluindo algumas raras e ameaçadas. Uma das plantas que é possível ver no Kirstenbosch é a estrelícia, também conhecida como ave do paraíso, uma planta típica da África do Sul com aproximadamente 1,20 metros de altura e com folhas duras. Um dos locais mais icónicos do Jardim Botânico de Kirstenbosch é a Centenary Tree Canopy Walking, uma passagem aérea de 130 metros de comprimento e 12 metros de altura no meio de árvores centenárias. Este percurso, construído em 2013 para celebrar o centenário do jardim, eleva os visitantes ao nível das árvores, permitindo ter uma vista panorâmica das montanhas e do jardim, com destaque para a Table Mountain – a grande montanha de cume plano que domina a paisagem da Cidade do Cabo – na linha do horizonte. Neste jardim botânico pode ainda encontrar uma estufa com um baobá de Gana no centro, vários bonsais, alguns com mais de 100 anos, e plantas de diferentes regiões africanas. Além das espécies botânicas, o Kirstenbosch tem uma grande variedade de espécies indígenas de aves, répteis, sapos e invertebrados. Já foram registadas mais de 125 espécies de aves, como o papa-açúcar e o nectariniidae, e ainda aves de rapina, de que é exemplo a águia de asa redonda. Existe ainda a possibilidade de avistar algumas espécies que só saem ao amanhecer ou anoitecer, como o xipene-do-cabo e a raposa-do-cabo.

Apesar de todas as estações proporcionarem experiências únicas, a melhor época do ano para visitar o Jardim Botânico de Kirstenbosch é entre agosto e novembro. O espaço inclui também uma loja, uma biblioteca, um centro de pesquisa, um café e um restaurante e apresenta regularmente exposições de arte e espetáculos de música ao vivo, nomeadamente nas sextas-feiras à noite durante o periodo de verão.

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.