Custom Menu

Latest From Our Blog

Ilikethis | “O LIP planeia tirar o máximo partido da sua relação umbilical com o CERN”
20374
post-template-default,single,single-post,postid-20374,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12.1,vc_responsive

“O LIP planeia tirar o máximo partido da sua relação umbilical com o CERN”

“O LIP planeia tirar o máximo partido da sua relação umbilical com o CERN”

Criado em 1986, no mesmo ano em que Portugal aderiu ao CERN, o LIP é uma associação científica e técnica que visa a investigação no campo da Física Experimental de Altas Energias e da Instrumentação Associada. Pedro Abreu, coordenador para a divulgação no LIP, explica a importância da relação entre o LIP e o CERN e os principais projetos estabelecidos em parceria.

Como avalia a evolução do LIP desde 1986, ano da sua criação?

O LIP evoluiu bastante, tanto no número de investigadores envolvidos, como no número dos trabalhos científicos publicados e teses defendidas por alunos orientados por cientistas do LIP; tanto no número de participações relevantes em experiências e colaborações internacionais em física experimental de partículas e astropartículas, como na importância e nível destas participações. A adesão de Portugal ao CERN a 1 de janeiro de 1986 foi a primeira adesão de Portugal a um organismo científico internacional. Com esta adesão foi relançada a internacionalização da ciência portuguesa, levando a saltos significativos na sua evolução e reconhecimento, abrindo caminho para adesões sucessivas a outros organismos científicos internacionais. O LIP foi criado a 9 de maio de 1986 para explorar as oportunidades únicas para a pesquisa fundamental que se abriram com esta adesão de Portugal ao CERN. Hoje o LIP envolve mais de cem investigadores doutorados que se distribuem por Lisboa, Coimbra, Braga e Covilhã. Em 1986 o LIP participava no CERN em três experiências e alguns projetos de investigação e desenvolvimento. Hoje participa em oito experiências e 18 projetos de investigação e desenvolvimento. A evolução muito significativa também ao nível das responsabilidades e tarefas desenvolvidas reflete-se no grande número de artigos científicos publicados em revistas internacionais com revisão científica e nas apresentações em conferências científicas internacionais.

Qual a importância para Portugal da colaboração entre o LIP e o CERN?

O LIP congrega em Portugal os esforços de participação científica e tecnológica nas áreas da Física Experimental de Partículas e Astropartículas. Neste contexto, a relação com o CERN é crucial, pois o CERN é hoje o maior laboratório do mundo nesta área de conhecimento, bem como um dos locais onde se desenvolvem tecnologias de ponta necessárias ao bom funcionamento dos aceleradores e das experiências aí instaladas. A participação do LIP nas experiências e projetos no CERN permite o enquadramento de cientistas e formação de futuros cientistas e engenheiros, com destaque para o programa da FCT de estágios tecnológicos nas organizações internacionais, contribuindo para o desenvolvimento da ciência e tecnologia nacionais. Esta participação permitiu também captar o interesse de empresas portuguesas em concursos no CERN para o fornecimento de bens e serviços que contribuíram para o desenvolvimento da indústria nacional. Finalmente, o LIP é responsável pela Escola de Professores no CERN em Língua Portuguesa, uma ação de formação acreditada e financiada pela Agência Ciência Viva, que já permitiu a 370 professores de Física/Ciências Físico-Químicas de escolas portuguesas – e mais de 200 professores brasileiros e dos outros países de língua oficial portuguesa – a atualização dos seus conhecimentos em Física Moderna e o contacto próximo com as experiências e com os cientistas portugueses e brasileiros a trabalhar no CERN

Leia a entrevista completa na compra da 16ª edição da I Like This em www.micas.pt.

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.