Custom Menu

Latest From Our Blog

Ilikethis | Fundação Gulbenkian celebrou 50 anos de presença em Paris
19699
post-template-default,single,single-post,postid-19699,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12.1,vc_responsive

Fundação Gulbenkian celebrou 50 anos de presença em Paris

Fundação Gulbenkian celebrou 50 anos de presença em Paris

A história da Fundação Calouste Gulbenkian em França iniciou-se em 1965 com a criação de uma biblioteca de língua portuguesa. Neste local eram realizados encontros e exposições que visavam promover a língua e cultura portuguesa num país com uma forte conexão com Portugal. Mais recentemente, estas atividades estenderam-se também à cultura lusófona e, atualmente, a biblioteca tem cerca de 90 mil volumes, “sendo uma das mais importantes coleções de língua portuguesa fora de Portugal e do Brasil”, esclarece a Fundação em comunicado. Além
do acervo da biblioteca, a instituição dispõe de uma variada programação de exposições através da qual apresenta artistas portugueses, enquadrando-os nos circuitos de arte internacional.

“A presença da Fundação Calouste Gulbenkian em França serve de vitrine da cultura portuguesa no exterior”, sumariza a instituição que em maio de 2015 iniciou a celebração dos 50 anos da Delegação na cidade de Paris. Durante um ano a programação do cinquentenário integrou conferências ‘Tout se transforme’, que permitiram a receção de pensadores e investigadores sobre temas da sociedade contemporânea. Paralelamente, foram organizados colóquios no âmbito dos Encontros da Lusofonia, onde se destaca um sobre ‘As Artes da Língua Portuguesa’, em outubro do ano passado.

“Para celebrar os 50 anos organizamos também quatro exposições na Fundação e duas grandes exposições fora das nossas instalações que estão a decorrer até ao verão”, explicou a Fundação. No Cité de l’architecture e du patrimoine está patente até ao dia 29 de agosto uma exposição sobre os 50 anos da arquitetura portuguesa intitulada ‘Les Universalistes’ e Amadeo de Souza-Cardoso está representado no Grand Palais até ao dia 18 de julho. Esta exposição pretende “apresentar o artista português ao público francês, já que Paris desempenhou um papel essencial na sua obra”, mas também reintroduzir Amadeo de Souza-Cardoso na história de arte internacional, acrescenta a instituição.

Com 50 anos de vida em Paris, a Fundação Calouste Gulbenkian pretende continuar a desenvolver atividades ligadas à atualidade cultural parisiense, aumentando o relacionamento com o mundo das fundações e com a sociedade civil e potenciando a conexão entre Portugal e França.

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.