Custom Menu

Latest From Our Blog

Ilikethis | “A relação do Politécnico de Leiria com o CERN permitirá abrir portas”
20383
post-template-default,single,single-post,postid-20383,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12.1,vc_responsive

“A relação do Politécnico de Leiria com o CERN permitirá abrir portas”

“A relação do Politécnico de Leiria com o CERN permitirá abrir portas”

Em outubro de 2016, o Politécnico de Leiria celebrou um protocolo de cooperação com o CERN que possibilita a realização de estágios e trabalhos de final de curso dos estudantes com orientação dos investigadores do CERN. Rui Pedrosa, vice-presidente do Politécnico de Leiria, explica qual a importância deste protocolo e as potencialidades do ensino português a nível internacional.

O Politécnico de Leiria é uma das instituições portuguesas com a qual o CERN tem fortes ligações. Como surgiu esta parceria?

A formalização da parceria entre o Politécnico de Leiria e o CERN, uma das maiores e mais prestigiadas instituições de investigação a nível mundial, surgiu como consequência do sucesso reconhecido dos trabalhos desenvolvidos no âmbito de estágios realizados no CERN por estudantes dos mestrados em Engenharia Eletrotécnica e Engenharia Informática – Computação Móvel, da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico de Leiria. Na realidade, este acordo foi o reconhecimento da elevada qualidade de formação superior ministrada pelo Politécnico de Leiria, nomeadamente na área das engenharias, alargando as áreas de intervenção também à investigação e inovação. Este foi também o reconhecimento da capacidade técnico-científica dos nossos professores enquanto supervisores dos referidos estagiários, conseguindo capitalizar esta relação específica para uma dimensão mais abrangente e institucional. Neste contexto, gostava de destacar a colaboração e empenho do professor Telmo Fernandes para a concretização desta parceria

Qual a importância desta relação para o Politécnico de Leiria e para os seus estudantes, mas também para o país?

Para o Politécnico de Leiria, colaborar com os melhores centros de saber é fundamental, principalmente porque os primeiros beneficiados são os nossos estudantes e futuros diplomados. Com esta relação, eles poderão usufruir da oportunidade única de complementar aprendizagens nesta instituição de âmbito mundial, multidisciplinar e multicultural, onde se realizam estudos técnicos e científicos com recurso às mais recentes tecnologias. A colaboração fomentará o aparecimento de projetos de investigação conjuntos, com docentes e investigadores do Politécnico de Leiria e empresas da região, que se podem posicionar como parceiros do CERN, nomeadamente como futuros fornecedores de serviços e de tecnologia. Estamos a falar de áreas como as tecnologias da informação, comunicações, bases de dados, controlo e automação industrial, sistemas industriais, sistemas distribuídos ou infraestruturas.

Quais os principais projetos desenvolvidos em parceria com o CERN?

Neste momento, no âmbito do protocolo de colaboração, temos já um bolseiro de investigação do Politécnico de Leiria no CERN como Project Associate (PJAS), supervisionado cientificamente pelo Professor Telmo Fernandes. No final deste período espera-se que surjam oportunidades para projetos de investigação e inovação, mas também para que mais estudantes e diplomados do Politécnico de Leiria possam ter esta experiência.

Leia a entrevista completa na compra da 16ª edição da I Like This em www.micas.pt.

Sem comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.